quarta-feira, 15 de março de 2017

[Pegadas & Divulgações] Novidades Grupo Leya

Sobre a obra: Chega esta semana, na colecção BIS, o livro "A Rapariga Que Inventou Um Sonho" onde estão reunidos os vinte e quatro melhores contos de Haruki Murakami, escritos entre 1981 e 2005, onde a mestria do autor do envolve a fantasia com a mais natural das realidades. Do surreal ao mundano, estas histórias exibem a sua habilidade de transformar o curso da experiência humana na mais pura e surpreendente arte literária.
Há corvos animados, macacos criminosos, um homem de gelo… Há sonhos que nos moldam e coisas que sempre sonhámos ter… Há reuniões em Itália, em exílio romântico na Grécia, umas férias no Havai… Há personagens que se confrontam com perdas dolorosas, outras que se deparam com distâncias inultrapassáveis entre os que querem estar o mais próximo possível.
Quase todas as histórias são melancólicas, com personagens submersas pela solidão. Murakami junta os seus temas favoritos: os acontecimentos inexplicáveis (o tal toque de fantástico que provoca por vezes a sua inclusão na corrente do realismo fantástico), as coincidências, o jazz, os pássaros e os gatos. Tal como foi escrito no Los Angeles Times Book Review, “Murakami abraça o fantástico e o real, cada um com a mesma envolvência de intensidade e luminosidade.”
Referido, ainda e sempre, como forte candidato ao Prémio Nobel da Literatura, Haruki Murakami é, cada vez mais, um autor de culto, lido por todas as gerações e procurado com especial curiosidade pelos jovens leitores, encontrando-se traduzido em mais de 50 línguas. É um dos escritores japoneses contemporâneos mais divulgado em todo o mundo.
----------------------------------------------------------------------------
Sobre a obra: Aqui Entre nós é uma comédia de enganos que nos leva a reflectir sobre a grande questão: existe alguém em quem possamos confiar verdadeiramente?
Desde sempre que Tamsin e Michelle são inseparáveis. Claro que Tamsin quer o melhor para a amiga. Quando lhe chega aos ouvidos o boato de que Patrick, o marido de Michelle, lhe é infiel, ela põe em prática um plano ousado: utiliza a sua assistente, Bea, como engodo, para ver o que acontece… Não lhe ocorreu, todavia, que a fiel Bea pudesse ter outras intenções. Além disso, a farsa parece ter ganho vida própria e, de repente, Tamsin dá por si enredada numa grande teia de mentiras. Consumida por sentimentos de culpa, Tamsin encontra-se perante uma situação delicada: conseguirá ela contar a verdade a Michelle sem arruinar a vida de todos?
Jane Fallon nasceu em Londres e trabalhou como produtora de TV até 2007, altura em que publicou o seu primeiro romance. Após o estrondoso sucesso da sua estreia literária, Jane não mais deixou de escrever, e as suas obras, conhecidas por terem sempre um inesperado lado negro, foram já traduzidas para mais de vinte línguas. 
----------------------------------------------------------------------------
Sobre a obra: As Cidades Invisíveis apresenta-se como uma série de relatos de viagem que Marco Polo faz a Kublai Kan, imperador dos tártaros. A este imperador melancólico, que percebeu que o seu poder ilimitado conta pouco num mundo que caminha em direção à ruína, um viajante visionário fala de cidades impossíveis, por exemplo, uma cidade microscópica que se expande, se expande até que termina formada por muitas cidades concêntricas em expansão, uma cidade teia de aranha suspensa sobre um abismo, ou uma cidade bidimensional como Moriana.
Creio que o livro não evoca apenas uma ideia atemporal de cidade, mas que desenvolve, ora implícita ora explicitamente, uma discussão sobre a cidade moderna. Penso ter escrito algo como um último poema de amor às cidades, quando é cada vez mais difícil vivê-las como cidades. ITALO CALVINO
«Ao projetar a sua própria voz nos relatos de cidades que pontuam o diálogo entre Marco Polo e Kublai Kan, Calvino reencontra essa capacidade dos antigos construtores de fábulas, e sabe transmitir o prazer que aquele que conta tem de suscitar no ouvinte, que é o próprio leitor» in Prefacio de Nuno Júdice
Italo Calvino nasceu em Cuba, a 15 de outubro de 1923. Passou praticamente toda a sua vida em Itália, excetuando os treze anos em que viveu em Paris. Faleceu em Siena, a 19 de setembro de 1985. Já trabalhava como consultor literário quando concluiu a sua licenciatura em Letras. Com O Atalho dos Ninhos de Aranha (1947) – a que se seguiu, em 1949, Ultimo Viene il Corvo e, em 1952, O Visconde Cortado ao Meio, primeiro romance da sua trilogia fantástica Os Nossos Antepassados – deu início a uma surpreendente carreira literária, que viria a consagrá-lo como um dos maiores escritores italianos do século xx.
----------------------------------------------------------------------------
Sobre a obra: Peregrinação - Testemunhos que nos unem, o novo livro da jornalista e escritora Leonor Xavier, chega às livrarias, amanhã, terça-feira.  No ano em que se comemoram os 100 anos das aparições de Fátima, a autora teve a ideia de pedir um testemunho sobre peregrinação a crentes e não crentes, pessoas públicas de várias gerações, de posições e alinhamentos políticos diversos, acreditando que, nas tantas diferenças de ânimos e crenças, modos e falas, poderiam estas personalidades ser suas cúmplices. No vasto conjunto de pessoas entrevistadas encontramos, por exemplo, Alice Vieira, Cuca Roseta, Fátima Campos Ferreira, Inês Pedrosa, Jaime Nogueira Pinto, Leonor Silveira, Lídia Jorge, Manuel Arouca, Maria do Céu Guerra, Maria João Avillez, Maria João Lopo de Carvalho, Maria Teresa Horta, Miguel Real, Patrícia Reis, Rui Horta ou Viriato Soromenho Marques, entre muitos outros, bem conhecidos do grande público.
“A minha maior peregrinação é a viagem da qual não se sabe o fim. É uma busca que pode ser mística ou artística” Jorge Martins
“As minhas peregrinações são sempre co os outros ou em direcção aos outros” Alice Vieira
“A arte é uma peregrinação porque é um caminhar e um olhar novo. A própria vida é um movimento em espiral, como a História” Inês de Medeiros
No ano em que o Papa Francisco visita Fátima o tema da peregrinação e da espiritualidade adquire mais interesse daí que este livro, que dá a conhecer um lado mais íntimo e pessoal de diversas figuras públicas, chega em boa altura e convida o leitor a pensar sobre o seu próprio percurso de vida.
----------------------------------------------------------------------------
Sobre a obra: Se as dietas funcionassem, seríamos todas magras, porque esse é o sonho de quase todas as mulheres. Mas, a verdade, é que elas não funcionam e 95% das mulheres que fazem dietas restritivas algum tempo depois voltam a pesar o mesmo ou ainda mais.
Seja Feliz sem Dietas não é um livro de dietas, é o oposto disso, um livro onde irá aprender a alimentar-se de forma saudável, mas sem restrições, proibições e horários; você vai poder comer as coisas que mais gosta, até pode comer chocolate e, mesmo assim, vai conseguir emagrecer. Precisamos de deixar de ter medo da comida, de pensar que só emagrecemos se fecharmos a boca e frequentarmos um ginásio, e de maltratar o nosso corpo com dietas e comprimidos, porque definitivamente isso não dura muito tempo. É importante aprender a equilibrar a nossa mente e corpo para que eles possam funcionar na perfeição e encontrar o equilíbrio.
Aos 15 anos, Mafalda iniciou um regime de dieta quando lhe disseram que para ser actriz precisava de emagrecer. Durante 15 anos fez dietas e sofreu de anorexia e compulsão alimentar, mas superou e acabou por descobri que comer o que se gosta não significa engordar ou passar fome.
Ao longo do livro irá aprender a ter uma alimentação consciente e intuitiva; compreender porque as dietas não funcionam; o que é a fome emocional e a compulsão alimentar; compreender e aceitar o seu corpo; aprender truques para sobreviver às festas e às férias; a importância da água e o mais principalmente, Seja Feliz com um plano de 31 passos.
Está preparada para ser mais feliz?

Sobre a autora: Mafalda Rodiles nasceu em 1983, em Lisboa, vive no Rio de Janeiro desde 2010 e é mãe da pequena Mel. Formou-se em Gestão de Empresas, mas a sua paixão desde muito nova sempre foi a representação. Começou a trabalhar como atriz em 2004, nos Morangos com Açúcar, onde deu vida à Carlota e seguiram-se outras quatro novelas, na TVI. Hoje em dia, concilia os trabalhos de atriz no Brasil com o seu projeto online Seja Feliz sem Dietas que nasceu em 2015. Apaixonada por alimentação consciente e intuitiva e por maternidade, Mafalda oferece cursos onlinee acompanha mulheres que querem libertar-se das dietas e aprender a ser cada dia mais felizes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário